DITOS, COSTUMES E SUPERSTIÇÕES

1 -- As unhas das crianças devem ser cortadas a primeira vez por suas madrinhas para que não lhes tarde a fala.

2 -- Comer castanhas com a pele interior faz criar piolhos na cabeça das crianças.

3 -- Comer muito queijo tira a memória.

4 -- Quando se arranca um dente, lança-se para a cinza e diz-se: -- Cinza, cinzão, toma lá este dente podre e dá cá um são.

5 -- Quando alguém deita sangue pelo nariz é costume, para que estanque, por nas costas do doente, sem que ele o saiba, duas palhas formando uma cruz.

6 -- Quando alguém passa, descalço, por um sítio onde um burro se tenha espojado, deve cuspir nesse local para não lhe nascer no pé uma pisadura.

7 -- O canto das corujas ou dos corvos por cima da povoação é sinal de morte próxima.

8 -- Quando chove  e faz sol está Nossa senhora a estender o lençol.

9 -- Quando alguém corta a cauda de uma lagartixa, aquela fica aos saltos. Está a contar os pecados de quem a cortou. Então deve dizer-se: conta os teus, não contes os meus; conta os teus, não contes os meus.

10 -- Se treze pessoas se sentam a uma mesa, uma delas morre dentro de pouco tempo.

11 -- Para afastar a trovoada queima-se loureiro e alecrim benzido em Domingo de Ramos.

12 -- Se uma pessoa tem as orelhas vermelhas, alguém está a falar dela. Se é a direita é mal, se é a esquerda é bem.

13 -- Não se devem por as crianças em frente do espelho para não se atrasarem na fala.

14 -- Quando uma criança chora frequentemente, deita-se no altar de Nossa Senhora do Rosário.

15 -- Casa de pombos, casa de tombos.

16 -- Quando chove em dia de Nossa Senhora das Candeias (2 de Fevereiro), tantas pingas, tantas abelhas.

17 -- O soluço acaba com um susto.

18 -- A gaguez é motivada por um susto.

19 -- Se uma criança está «aguada», junta-se sopa de sete panelas e dá-se-lhe a comer para sair o aguamento.

20 -- Para maior agradecimento de uma graça, pede-se esmola de porta em porta para pagar uma missa que se manda rezar.

21 -- Ao «deitar galinhas», os ovos devem ser em número ímpar, e deve dizer-se:

Aqui deito estes ovos,
Em louvor de S. João;
Que todos saiam pitas
E só um cantão.

ou então

Depois de colocada a galinha nos ovos, as mulheres põem-se sobre o cesto e dizem: -- saí ao que vistes, só um é que não.

22 -- O noivado desfaz-se se os noivos vão ser padrinhos de alguém.

23 -- É sinal de morte próxima o galo cantar antes da meia-noite.

24 -- Depois de amassar o pão faz-se uma cruz e diz-se: Nosso Senhor te acrescente e te livre de má gente.

25 -- Pelo S. João, o 1º pobre a quem uma solteira dá esmola, tem o nome do rapaz com quem virá a casar.

26 -- Matar um gato preto dá azar.

27 -- Para ter boa memória come-se o primeiro ovo de uma galinha.

28 -- Pelo S. João, as solteiras escrevem o nome de três rapazes de quem gostem, cada qual em seu papel. Depois de baralhados, deitam um para a rua, outro para trás da porta e o outro colocam-no debaixo do travesseiro. Na manhã seguinte, o papel que tinham colocado sob o travesseiro, indica o nome do rapaz com quem irá casar.

29 -- Clara de ovo apressa a fala das crianças.

30 -- Os doentes que se encontram de cama, devem sentar-se enquanto pela sua rua passa um enterro, sob pena de o seu mal não ter cura.

31 -- Chama-se honra de Almaceda ao resto que fica dum manjar.

32 -- Quando se ferve o leite e este se entorna sobre o lume, deve deitar-se sal para que não deixe de dar leite o animal que o forneceu.

33 -- As azeitonas ficam sapateiras se a água com que as tratam não for sempre da mesma nascente.

34 -- Lua nova trovejada trinta dias é molhada.

35 -- Quando uma rapariga recusa a um rapaz o pedido para dançar, diz-se que deu um cabaço.

36 -- Quando uma pessoa mostra desejo de alcançar algo difícil, as outras costumam dizer: morres com a fé, como o Ti João Sacristão.

37 -- As grávidas não podem ser madrinhas porque o bébé pode sair enfezado.

38 -- A água é boa para beber se, cuspindo nela, a saliva se espalhar. Não se deve beber se a saliva ficar junta.

39 -- Quem vai ao ar, perde o lugar.

40 -- Quem vai à ribeira, perde a cadeira.

41 -- E depois? -- Morreram as vacas, ficaram os bois.

42 -- Que horas são? -- Faltam dez réis para meio tostão, um soldado para um batalhão e uma sardinha para um quarteirão.

43 -- Paga-se a patente quando se estreia alguma coisa.

44 -- Quando o pão cai no chão, apanha-se e beija-se.

45 -- Quem dá e toma, nasce-lhe uma tromba.

46 -- Quem dá e torna a tirar, ao inferno vai parar.

47 -- Espirrar uma pessoa entre o levantar da hóstia e do cálix, é sinal de morte próxima.

             [Página principal